Como aplicar o modelo Government Extension do PMBOK na gestão de projetos públicos

Os desafios relacionados ao gerenciamento de projetos, tanto no setor público quanto no setor privado, são muito próximos e parecidos. Obviamente só se pode fazer esse tipo de constatação quando se compara o gerenciamento em si, já que as formas e as metodologias aplicáveis na condução desses projetos são basicamente as mesmas. No entanto, as estruturas que envolvem esses setores são muito diferentes, o que acaba influenciando na condução e no resultado de projetos realizados no âmbito público e privado.

Foi pensando nisso que o Project Management Institute (PMI), uma entidade sem fins lucrativos que promove a pesquisa, a sistematização e a divulgação de conceitos e técnicas para o gerenciamento de projetos, criou uma extensão para o setor público do Guia PMBOK. Para aumentar a eficiência e a eficácia no gerenciamento de processos do governo, em 2006, a PMI aplicou essa nova sistematização de normas voltadas para governos. Para saber mais, continue acompanhando nosso post!

O setor público e o gerenciamento de projetos

As empresas e órgãos públicos, por uma exigência da legislação, acabam tendo um timing diferente dos projetos envolvendo negócios no setor privado. Isso porque para contratar, comprar ou adquirir os subsídios necessários para a execução de um projeto é necessário que, na maior parte das vezes, o Poder Público realize um processo de licitação, o que acaba tornando as execuções de projetos naturalmente mais morosas.

Além disso, o Poder Público conta com outros fatores de risco que influenciam diretamente os projetos. Basta lembrar que em um sistema democrático existe a alternância de poderes, o que acaba interrompendo a execução de projetos devido à mudança de estruturas funcionais.

Por fim, os projetos relacionados ao Poder Público também contam com o fator da imagem negativa, já que muito se associa à corrupção e a falta de transparência em projetos públicos, fazendo com que a gestão e a condução desses projetos sejam muitas vezes dificultadas, o que exige alguns ajustes e atenção especial dos gestores.

O PMBOK e Government Extension

“Corpo de Conhecimento de Gestão de Projetos”, conhecido como Guia PMBOK foi criado pela PMI para identificar um conjunto de conhecimentos específicos voltados ao gerenciamento de projetos. Pode-se dizer que esse material reúne informações diversas compiladas por profissionais da área que, quando utilizadas, aumentam de forma significativa as chances de sucesso de um projeto.

Não se trata apenas de uma metodologia, mas principalmente de uma padronização envolvendo diversas teorias sobre o assunto, onde ficam identificados processos, técnicas, metodologias e áreas de conhecimento.

O PMBOK é um guia bastante reconhecido por quem trabalha com a administração e gestão de projetos.

Além de introduzir conceitos e resumir processos, esse material também fornece boas práticas de gerenciamento e diretrizes individuais auxiliando na definição do ciclo de vida e processos de um projeto.

Projetos são criados em todos os níveis e setores de uma organização. Podem ser feitos por um único departamento da empresa ou fora das suas fronteiras. Em geral, os projetos se apresentam como componentes críticos da estratégia da companhia atuando como um empreendimento colaborativo planejado para alcançar um objetivo particular.

No caso do Governement Extension, que é um modelo específico para governos em geral, existe uma apresentação dos fundamentos da gestão de projetos aplicáveis às mais diversas organizações do Poder Público, incluindo também a adoção de boas práticas.

Não se trata de um substituto do Guia PMBOK, mas sim uma extensão onde muitos dos conceitos expostos no Guia original estão presentes. Por esse motivo, para compreender o gerenciamento de projetos no setor público através do Government Extension, é preciso conhecer o PMBOK. A boa notícia, no entanto, é que hoje alguns softwares já são aderentes às melhores práticas do PMBOK para o gerenciamento de projetos, facilitando o entendimento e a execução por parte do usuário, sem que seja necessário um aprofundamento no Guia.

Além de facilitarem o dia a dia do usuário que não precisa acumular informações para executar um processo de forma eficiente, esses softwares garantem facilidade e aceleram o processo dos resultados. Para quem quer promover mudanças, trata-se de uma ferramenta essencial.

Já pensou em utilizar um software com as normas do Guia PMBOK Government Extension? Tem dúvidas sobre a sua eficácia? Compartilhe sua experiência e suas dúvidas nos comentários abaixo!

Sobre Hayala Curto

Sobre o Colunista: Hayala Curto, CEO da NetProject. Mestre em Informática e graduado em Ciência da Computação pela PUC-MG. MBA em Gerência de Projetos e MBA em Gestão Empresarial pela FGV.
Tem mais de 20 anos de experiência profissional, coordenando projetos de TI e implantando Escritórios de Projetos em clientes de diversos portes e segmentos. Participou da abertura de 3 empresas. A primeira faliu, a segunda foi vendida e atualmente trabalha como CEO na terceira.
É certificado PMP desde 2005, PMI-SP e PMI-RMP, pelo PMI. Também é certificado IPMA-C, Prince2 e CSM. Apaixonado por Gerenciamento de Projetos, atua como docente na área, em cursos de pós-graduação/MBA, desde 2009.

Deixe um comentário