Ágil, Preditivo e Híbrido: por quê uma boa ferramenta PPM gerenciará todos os três?

“Ágil versus Cascata, Cascata versus Ágil!” Parece chamada de combate do UFC, não? Nessa “briga” nenhum dos dois deveria beijar a lona, apesar do “card” estar presente nas discussões de todos os gerentes de projeto nos últimos anos.

Um software Project and Portfólio Management (PPM), é um sistema de informação recheado de requisitos para uma efetiva gestão de portfólio e projetos. Um sistema como este deve suportar requisitos que atendam a controles de prazos, custos, qualidade, comunicação, riscos, qualidade, dentre outros.

Um dos requisitos essenciais atuais de uma ferramenta PPM é a capacidade de gerenciar projetos Agile e em cascata (e qualquer combinação dos mesmos) a partir de uma única ferramenta. Vamos entender o porquê.

Por quê usar o Preditivo e o Ágil juntos?

A definição de qual abordagem utilizar depende das características de cada projeto. Projetos com requisitos bem definidos, que não estejam sujeitos a mudanças funcionarão bem com cascata, enquanto projetos de inovação e pesquisa com requisitos incertos e onde o escopo e o cronograma são difíceis de determinar com antecedência se beneficiarão mais de metodologias Ágeis..


Em um mesmo Portfólio de projetos, uma organização pode ter dezenas de projetos em execução simultaneamente, alguns usando cascata e outros usando Ágil.

Por exemplo, o negócio principal de uma empresa fornecedora de softwares para frente de caixa pode se concentrar em torno de uma produto estável com apenas mudanças incrementais (para a qual a cascata é uma boa opção) .

Porém, a mesma empresa pode desejar investir em novos produtos digitais com inteligência artificial, aproveitando seu expertise e a base de dados do software de frente de caixa. Para esse projeto, o Agile seria mais recomendado.


Os projetos não precisam ser totalmente ágeis ou totalmente preditivos !

De fato, entendemos existem algumas situações em que a combinação de ambos proporciona muito mais benefícios do que qualquer um deles individualmente.

Por exemplo, uma empresa pode escolher usar o preditivo para planejar as grandes fases de um projeto e usar o Ágil para desenvolver um produto ou serviço iterativamente em cada estágio.

Analisando o Ciclo de Vida do Projeto, poderíamos ter as seguintes combinações:

Metodologias híbridas combinam o melhor dos dois mundos: a estrutura geral de cascata do preditivo, com a flexibilidade do Ágil. Dar às suas equipes a opção e flexibilidade para escolher a metodologia que melhor se adapta às características do projeto pode ser uma forma significativa de impulsionar o desempenho de seus projetos.

Mesmo que você não use o Ágil hoje, vale a pena planejar o futuro: você precisa saber que, se mudar seus processos, sua ferramenta PPM pode e mudará com você.

Ter a opção de introduzir técnicas Ágeis em seus processos em cascata existentes de forma controlada é uma ótima opção. Uma boa ferramenta PPM ajudará você a gerenciar projetos ágeis, preditivos e híbridos na mesma ferramenta.

As abordagens de gerenciamento de projetos ágeis, em preditivos e híbridos podem seguir princípios diferentes, mas ainda usam os mesmos recursos (que você precisa fornecer) e são responsáveis ​​pelo portfólio.

É por isso que uma boa solução de Gerenciamento de Projetos e Portfólios fornecerá os dados e as ferramentas de que você precisa para monitorar todos os seus projetos de forma consolidada, independentemente da metodologia.


Nem todos os dados valem a pena consolidar no nível do portfólio, mas uma boa ferramenta de PPM permitirá que você calcule e agregue:

  • Custos (mão de obra, materiais etc.)
  • Avanço do projeto (veja a imagem abaixo), e
  • Capacidade (por exemplo: qual perfil de pessoas eu preciso para completar as tarefas programadas em todo o portfólio em um determinado momento?)

Por exemplo, nesta tela do NetProject, o gerente de portfólio pode visualizar o andamento dos projetos no portfólio, independentemente de o projeto ser gerenciado usando preditivo (Projeto Alfa) ou Ágil (Projeto Beta).


Uma boa ferramenta PPM também incluirá integração fácil e abrangente com aplicativos de terceiros (como SAP, Totvs), o que permitirá, por exemplo, recuperar detalhes de custos que são gerenciados fora da solução PPM, e então providenciar a Gestão de Valor Agregado:

Você também pode se interessar por estes artigos:

  1. Gestão Híbrida de Projetos em Ação – Iniciação
  2. Ferramentas para a Gestão Híbrida de Projetos
  3. Metodologias Híbridas de Gestão de Projetos em 5 passos

Sobre Hayala Curto

Sobre o Colunista: Hayala Curto, CEO da NetProject. Mestre em Informática e graduado em Ciência da Computação pela PUC-MG. MBA em Gerência de Projetos e MBA em Gestão Empresarial pela FGV.
Tem mais de 20 anos de experiência profissional, coordenando projetos de TI e implantando Escritórios de Projetos em clientes de diversos portes e segmentos. Participou da abertura de 3 empresas. A primeira faliu, a segunda foi vendida e atualmente trabalha como CEO na terceira.
É certificado PMP desde 2005, PMI-SP e PMI-RMP, pelo PMI. Também é certificado IPMA-C, Prince2 e CSM. Apaixonado por Gerenciamento de Projetos, atua como docente na área, em cursos de pós-graduação/MBA, desde 2009.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.