5 diagnósticos obrigatórios para avaliar a saúde de seu projeto

Conheça uma metodologia eficiente para colocar seus projetos em ação

Executar projetos requer planejamento, atenção e disciplina. A cada etapa, são realizadas atividades que podem dar ou não certo. É preciso estar preparado para qualquer circunstância, e saber mensurar os resultados de todo o trabalho. Por isso, iremos publicar uma série de posts com os 5 diagnósticos obrigatórios para avaliar a saúde do seu projeto. Até o final da série você saberá tudo sobre os 5 diagnósticos obrigatórios para avaliar a saúde do seu projeto.

Comparar o planejado com o entregue

Planejamento é a palavra-chave quando se trata de execução de um projeto. É necessário pensar em todas as possibilidades, em prováveis obstáculos, e prever soluções. Sabemos que o resultado é importante, e ele só será bem-sucedido se o processo fluir bem. Dessa forma, daremos algumas dicas para que você consiga se programar e fazer seu trabalho com eficiência, cumprindo prazos e atendendo às expectativas dos seus superiores.

Muitas pessoas têm dificuldades em se organizar para realizar tarefas, e acabam atropelando processos. Para evitar esse tipo de situação, é imprescindível a utilização de um cronograma. Com ele, será possível visualizar o período limite de entrega de cada atividade e se programar para que não haja atraso, além de comparar datas previstas com as realizadas.

Nesse sentido, muitas empresas adotaram o quadro Kanban para auxiliar no planejamento de ações.

Mas, afinal, o que é Kanban?

É uma palavra japonesa, que significa “registro” ou “placa visível”. O quadro é uma ferramenta criada por TaiichiOhno, da Toyota, com o objetivo de encontrar um sistema de melhoria que sustentasse um alto nível de produção. Nele, existem cartões que representam cada etapa do trabalho, e eles seguem um fluxo pré-estabelecido de fases a serem cumpridas (Todo, Work In Progress e Done). Na medida em que uma tarefa evolui, os cartões vão se movendo, e a cada vez que uma nova demanda surge, um novo cartão é criado. Veja um exemplo desse quadro:

O quadro Kanban é um excelente aliado na ordenação e gestão de atividades. Com ele, toda a equipe saberá exatamente sobre o andamento do projeto, de forma transparente.

Outro mecanismo eficiente para condução de projetos é o planejador de sprints, uma forma de facilitar a divisão de um projeto em etapas ao longo do tempo. A lógica é similar a do Kanban, com mais detalhamento nas informações. O uso de sprints possibilita melhor classificação de prioridades, o que é extremamente importante, principalmente em atividades complexas, ou que demandam um número maior de pessoas da equipe. Não podemos nos esquecer das reuniões diárias para definição de metas e fluxos de trabalho. Sem elas, a estipulação de objetivos pode ficar dispersa ou pouco clara. A preocupação em seguir esse curso ajuda na agilidade que os tempos modernos exigem.

Projetos são passíveis de mudança ao longo do caminho. Por isso, a utilização de planejadores de sprints é essencial, já que será possível comparar entregas planejadas e realizadas.

Agora você sabe que é possível tocar um projeto com eficiência, foco e estratégia, nos próximos artigos você descobrirá como calcular a quantidade de riscos em seu projeto, descobrirá como minimizar seus impactos, saberá como medir se o gerente de projeto está cumprindo as entregas da metodologia e ainda descobrirá como utilizar Análise de Valor Agregado para verificar a situação atual do projeto e estimar custos e prazos finais.

Sobre Hayala Curto

Sobre o Colunista: Hayala Curto, CEO da Seed e idealizador do software NetProject. Principal acionista da empresa, Hayala é Mestre em Informática e graduado em Ciência da Computação pela PUC-MG. MBA em Gerência de Projetos e MBA em Gestão Empresarial pela FGV.
Tem mais de 15 anos de experiência profissional, coordenando projetos de TI e implantando Escritórios de Projetos em clientes de diversos portes e segmentos. Participou da abertura de 3 empresas. A primeira faliu, a segunda foi vendida e atualmente trabalha como CEO na terceira.
É certificado PMP desde 2005, PMI-SP e PMI-RMP, pelo PMI. Também é certificado IPMA-C, Prince2 e CSM. Apaixonado por Gerenciamento de Projetos, atua como docente na área, em cursos de pós-graduação/MBA, desde 2009.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.